Fique conectado

Seu Bicho no Clube

Estopa – a gata MacGyver

Equipe Clube dos Bichos

Publicado

em

clube dos bichos

Estopa nasceu em 2015. A primeira notícia que tive dela foi que minha amiga e vizinha iria adotá-la pois uma gata tinha tido filhotes no quintal de uma funcionária dela. E algum morador dessa casa deu cachaça para a gatinha filhote, numa “brincadeira” muito infeliz.

Minha amiga adotou Estopa e a batizou com esse nome porque ela muito frágil e tinha o pelo ouriçado, como se fosse uma estopa de encerar carro! Dias vem, dias vão e percebemos que Estopa não defecava todos os dias. Até que precisamos leva-la a veterinária para fazer lavagem.

Gente, foram muitas as vezes que corremos com a Estopa para a veterinária, que cuidou dela com muito amor. Era um processo complicado, fazer a lavagem e arrumar o ânus e o intestino da Estopa que saiam um pouco para fora toda vez que isso acontecia.

Assim, acredito que devido a todos esses banhos quando era bebê, Tope cresceu amando água. Certamente, não vive sem a fonte dela e faz um escândalo para abrirmos a torneira do tanque para enfiar a cabeça embaixo.

clube dos bichos

Achamos que Estopinha iria morrer.

Mas felizmente ela sobreviveu e cresceu, se tornando uma gata muito da linda. Mas isso não foi nem metade das aventuras dela. Essa minha amiga era a louca dos bichos, com muitos gatos e cachorros. Então sempre foi mais fácil o veterinário ir na casa dela vacinar todo mundo do que o contrário.

Numa dessas visitas de rotina, a veterinária ao vacinar a estopa fez um teste clínico com ela e nos esclareceu que Tope é uma gatinha especial, como se fosse autista. O que explica muita coisa…

Estopa fica horas “mamando” no ar ou no próprio braço. Fora que seu senso de profundidade e perigo meio que diverge dos gatos em geral. Ela já atravessou uma porta de vidro (mas ficou tudo bem, só arranhou a bochecha) e já tostou a ponta dos bigodes no fogão.

Eu sempre gostei muito dela e dizia a minha amiga que eu queria Estopa para mim. Até que essa minha amiga foi morar numa casa na roça. Ela levou todos os bichos e lá ainda arrumou outros.

Era uma casa toda aberta e atrás do terreno tinha uma reserva florestal e um rio. Diversas vezas ela pegou cobras em seu quintal.

Estopa fugiu!!!

Ficou 9 dias sumida. Quando ela apareceu, minha amiga finalmente deixo Estopa morar comigo. Isso tudo aconteceu em BH.

No final de 2018 eu me mudei para Florianópolis, foi tudo muito rápido e eu vim para o sul sem nem saber onde moraria. A Estopa ficou com uma outra amiga minha que morava em apartamento telado, tudo certo, até eu poder buscar ela. Porém minha amiga precisou viajar por um longo período. E a única pessoa que se dispôs a ficar com Estopa foi aquela amiga que morava na roça.

Estava eu tranquila aqui em Florianópolis, já com data marcada para ir a BH e retornar com a Estopa, quando minha amiga me avisa que Tope havia fugido… há 30 dias atrás. Eu fiquei furiosa dela ter deixado a gata fugir novamente e ter me avisado tão tarde. Então, fiz cartazes, espalhei nas redes e rezei, rezei muito.

Certo dia eu estava muito triste por uma série de fatores e escrevi em meu diário que acreditava que Estopa havia morrido, ela já estava a 40 dias sumida na selva. Porém, nesse meio, tive o que acredito ter sido uma prova de fé.

No condomínio em que moro tem muitos gatos e alguns são acostumados a sair para dar rolê. Ao sair com meu marido, encontrei um gato preto, lindo, gordinho, do olho amarelo que miou e estendeu a patinha para mim. Pensei em pegar ele, ver se tinha dono e caso não tivesse, ficar com ele.

Então pensei: não, Estopa vai voltar.

Já temos uma cachorrinha e ficar com dois gatos vai ser complicado.

E a Estopa voltou para a casa da minha amiga sozinha. Muito magra, muito mesmo e cheia de pulgas. Dessa vez minha irmã a pegou e trancou num quarto (com comida e tudo mais, e claro, levou ao veterinário antes).

Em novembro eu fui a BH e comecei os procedimentos para trazer a Estopa de avião. Gente, se eu estivesse tentando embarcar com uma bomba teria sido mais fácil.

Primeiro a companhia aérea não me instruiu corretamente de como fazer o pedido de embarque com animais, o que gerou um pedido errado e que por isso foi negado um dia antes de eu viajar.

Tentando resolver isso descobri o serviço de cargas aéreas e Estopa embarcou três horas antes da gente. Achei que ela ia ficar muito estressada, faria xixi na caixa de transportes (mesmo eu tendo deixado ela em jejum) ou daria um escândalo ao chegar.

Mano, quando pousamos em Floripa e pegamos a gata, a bicha estava mais calma que eu. Lembro que, no uber a caminho de casa (telada a muito tempo esperando ela), Estopa olhava tudo ao redor pelas janelas do carro, plena. Parecia que ela sabia que aqui seria sua nova casa.

Final feliz? Calma.

Pelo contrário, ainda tinha o fator Laika, nossa doguinha. Laika é muito calma e até medrosa, eu sabia que ela não brigaria com Estopa. Eu estava com medo do contrário e com receio de ter que escolher uma das duas, eu não saberia o que fazer.

Enfim, fiz a aproximação das duas com muita calma. Nos primeiros três dias, Estopa ficou restrita à uma parte da casa e Laika a outra, podendo se cheirarem pela fresta da porta. Quando as duas se viram e parecia que já se conheciam a muito.

Laika tenta brincar com Estopa, mas a gata ignora ela solenemente. Porém, elas tiram um cochilo no sofá juntas todo dia. Hoje minha família está completa.

Venham conferir as Receitas Caseiras de Petiscos Saudáveis para Cães e Gatos, e-book pensado para aliar diversão e saúde para o seu melhor amigo.


  • Bichinho: Estopa 
  • Tutora: Jessica
  • Instagram: @jessbley

Clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: