Fique conectado

Silvestres

Hamster chinês: como criar o “ratinho hamster”.

Publicado

em

hamster-chines-hamsters-branco

O hamster chinês certamente é uma excelente escolha de pet por vários fatores em consideração, e a praticidade é um deles. Ter um hamster pode ser a melhor opção de companhia; eles não ocupam muito espaço e não demandam muito esforço do tutor para passeios ou atividades recreativas.

Entretanto, não devemos esquecer de dar para esses pequeninos o melhor conforto possível.

Hoje você conhecerá tudo sobre hamster chinês. Confira um pouco de sua origem e suas principais características. Desafiamos você a sair daqui deste post sem gostar desse roedor!

Mas o que é um hamster?

Esse é um animalzinho que faz parte da família dos roedores. A “grande família” inclui, além do hamster chinês, o coelho, porquinho da índia e outros animais de estimação.

O hamster é certamente o pet mais popular da família e faz muito sucesso, principalmente com as crianças.

fotos-de-hamster-branco

Origem e comportamento do hamster chinês.

A raça surge entre a China e Mongólia, em suas partes desérticas. A domesticação do hamster chinês se deu no início do século XX (1919), mas antes de conviver no ambiente familiar, o roedor foi usado como animal de laboratório.

Esse hamster é bastante dócil. Seus olhos escuros e brilhantes lhe dão um ar inocente. Seu rabo é pequeno (algo em torno de 2,5 cm), aliás é o único hamster que possui rabo, e suas orelhas são bem abertas.

Por ser o único exemplar da espécie que possui rabo o hamster chinês é muitas vezes lembrado como o “ratinho hamster“.

Quando se acostuma ao habitat doméstico, o pet é uma das melhores companhias que você poderá ter, já que esses são animais carinhosos e brincalhões. Assim como a maioria dos seus parentes, esse hamster é territorialista, por isso evite criar mais de um na mesma gaiola.

Ao menos evite introduzir um novo animalzinho no convivido com um hamster chinês que você tenha desde filhote.

Tamanho e cores do hamster chinês.

As cores do hamster chinês variam do marrom acinzentado ao avermelhado. Além disso, ele possui um padrão em linha preta que vai do começo ao fim do dorso e a parte da barriga na colação marfim.

hamster-ratinho-chines-preço

É possível que venham a nascer hamsters pretos e hamsters brancos também, mas essas cores são exceção à regra.

Em sua fase adulta mede entre 5 a 7cm e pesa em torno de 50 a 70g. Sua expectativa de vida é de até dois anos e meio.

Veja a relação entre o tempo de vida do hamster chinês e a idade humana neste post: Quanto tempo vive um hamster?

Como cuidar do seu hamster chinês?

Caso ainda não tenha passado pela experiência de criar um hamster chinês, hamster sírio ou qualquer outro dessa espécie, não se preocupe! Abaixo listamos algumas dicas para que você crie seu pet da forma mais confortável e saudável possível, para ambos.

1. Higiene:

Um ponto positivo quando se cria hamsters é a higiene. Este pet gosta muito de se limpar, cerca de 80% do seu tempo ele dedica a isso. Então, você não precisará gastar tempo (ou dinheiro em petshop) com seu bichinho, mas terá que dedicar (ao menos duas vezes por semana) para limpar sua gaiola, assim como os acessórios que fazem parte dela.

2. Alimentação:

A alimentação é bem simples, pois a maioria dos tutores já dão as rações específicas que são vendidas pelos petshops. Mas, se depender do apetite deles o tutor poderia oferecer quase tudo.

Saiba que é importante dar uma comida bem variada para os hamsters. Nela é importante ter uma mistura de variadas sementes e também alguns vegetais, como por exemplo cenouras, milho, entre outros.

hamster-anao-chines

Por vezes podemos dar também frutas, desde que não sejam as cítricas, e certamente eles também vão apreciar alimentos ricos em proteínas como por exemplo um ovo. Esse último é uma excelente opção para os hamsters chineses filhotes ou jovens ainda em fase de crescimento.

3. Exercícios Diários:

A maioria dos animais domésticos precisam se exercitar para cultivar uma boa saúde, e com o hamster não poderia ser diferente – apesar de seu pequeno tamanho. Assim, não fique com receio de colocar um bela rodinha ou uma grande escada na gaiola de seu hamster filhote para que ele possa se exercitar a vontade e ser muito feliz.

4. Gaiola para o hamster chinês:

Já fica a dica, não coloque em seu quarto! Apesar de ser o local mais “óbvio”, não é aconselhável colocarmos nosso ratinho hamster em nosso quarto, por dois motivos principais.

Primeiro: ele provavelmente irá te incomodar! O hamster possui hábito noturno e certamente fará a festa enquanto você estiver querendo dormir. Ou seja, vai fazer barulho, vai rodar a rodinha e comer bastante.

Segundo: eles não gostam de locais frios, com corrente de ar ou mesmo variação brusca de temperatura. Então, colocar o hamster no seu quarto vai atrapalhar o uso de seu ar condicionado, ventilador ou qualquer outro equipamento que você possa ter para o seu conforto.

Os hamsters, quando submetidos a estresse em seu conforto térmico podem inclusive hibernar.

Não sabia que o hamster anão chinês hiberna? Então você pode gostar também desse post: Hamster sírio e hamster chinês hibernam?

Quanto custa um hamster chinês?

Agora você, futuro tutor, vai levar um susto! Sabia que pode não custar nada? Sim, isso mesmo o preço do hamster chinês pode ser ZERO. Assim, se você tiver um pouco de sorte vai achar um dos vários grupos de facebook que promovem a doação desses lindos bichinhos aí próximo de sua casa.

Assim, não precisará gastar nenhum tostão para ter um lindo hamster chinês em casa. Mas se esse não for o seu caso, não fique triste! O hamster é um dos animais de estimação mais baratos que podemos encontrar, pois o preço de um hamster chinês filhote ou adulto vai varia de R$20,00 a R$ 25,00, em média.

Lembre-se, certamente é importante observar se o criador ou o amigo que te ofereceu o hamster cuida bem dos animais que estão na posse dele. Assim, ver como esses pequenos roedores são criados, se as condições de saúde da colônia estão boas e, de quebra, pegar algumas preciosas dicas de como dar os primeiros passos na criação desses lindos animais.

Mas hamster tem pulga?

Os hamster dificilmente tem pulga. Entretanto, caso haja outros animais no ambiente, como cães e gatos, existe sim a possibilidade do seu hamster anão chinês apresentar uma infestação por pulgas.

Portanto, é importante atenção para as condições de limpeza tanto do ambiente quanto de outros animais que vivem na casa ou apartamento, para que o risco do hamster ter pulga seja pequeno ou quase nulo.

Você pode também gostar deste post: Como eliminar pulgas do ambiente externo e interno. [7 DICAS INFALÍVEIS].

Quando posso desmamar meu hamster chinês?

O filhote de hamster chinês nasce cego, surdo e sem nenhum pelo, ou seja, demanda muitos cuidados para sobreviver e chegar a idade adulta.

Nessa fase de vida o animalzinho é muito sensível, sendo importante que ele fique na presença da mãe e dos irmãos de ninhada. O filhote de hamster deve ser alimentado exclusivamente com o leite materno até 21 a 28 dias de vida. Após esse período, o hamster chinês deve ser desmamado.

Por fim, esperamos que tenha gostado de saber mais sobre o mundo dos hamsters e se tiver qualquer dúvida sobre qualquer coisa de hamster nos mande em nossas mídas sociais.

Siga o CLUBE DOS BICHOS no Instagram, Facebook e YouTube.


guilherme rezende

Guilherme Rezende

Médico Veterinário formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
Pós graduado em Clínica Cirúrgica de Pequenos Animais pela Universidade Castelo Branco (UCB).

Cofundador do site Clube dos Bichos.

fabiano carregaro

Fabiano Carregaro

Médico Veterinário graduado pela Universidade de Brasília (UnB).
Mestre em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Cofundador do site Clube dos Bichos.


Referências Bibliográficas:

Medina, M. P. Efeitos do enriquecimento ambiental no comportamento e bem-estar de animais de laboratório convencionais. LUME – Repositório Digital da UFRGS. 2012.

WHITTAKER, D. The laboratory hamster. In: POOLE, T. (Ed.). The UFAW Handbook on the Care and Management of Laboratory Animals. Blackwell Science Publications, Oxford: 1999. v. 1. p. 356-366.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: