Fique conectado

Alimentação

Cachorro pode comer uva ou uva passas?

Publicado

em

PORQUE CACHORRO NAO PODE COMER UVA

Será que meu cachorro pode comer uva passa ou uva natural? Afinal, quando um tutor decide cuidar de um pet, muitas dúvidas surgem: banho, saúde e bem-estar são algumas das preocupações.

Com a alimentação não é diferente. Aliás, uma dieta equilibrada e a ingestão de alimentos que fazem bem para seu cão são fundamentais para manter a qualidade de vida de nosso melhores amigos. Nesse sentido, sabemos que existem alguns alimentos considerados proibidos para nossos peludos. Será que cachorro pode comer uva, por exemplo?

O Clube dos Bichos preparou uma série de conteúdos sobre alimentação natural para que você não tenha dúvida na hora de oferecer frutas, legumes e verduras para o seu cão. E hoje vamos falar da uva, um alimento que gera muitas dúvidas sobre sua composição. Vem saber mais sobre a uva para cães com a gente! 

Quais são as propriedades da uva?

A uva é o fruto da videira – ou parreira – e além de ser consumida in natura, ela é a matéria-prima de vários outros alimentos, como o vinho e os sucos.

A fruta é rica em vitaminas do complexo B e vitamina C, além de carregar alto teor de potássio, magnésio, ferro, cálcio, fósforo e sódio. Ela não possui colesterol e tem baixo nível calórico. Já o índice glicêmico e o sabor mais doce ou mais ácido vai variar de acordo com a espécie da fruta e com o solo em que a uva foi cultivada. 

A uva possui três partes: a casca, a polpa e as sementes. A casca é rica em antocianina, taninos, e flavonoides. Já as sementes carregam lipídios, proteínas e polissacarídeos. Por fim, a polpa é rica em água, ácidos e açúcares. 

Você pode também gostar deste post: Cachorro pode comer maçã?

Mas quais os efeitos da uva no organismo dos cães?

Muitos alimentos que os humanos ingerem podem também ser oferecidos para os cachorros.

Mas, infelizmente, esse não é o caso da uva, ou seja, não pode dar uva para cachorro comer. Sim, essa é uma fruta proibida para cães e saiba o porquê!!!

Os males que a fruta causa no organismo dos peludos são vários, a saber: diarreia, vômitos, dor abdominal, fraqueza, desidratação, letargia, tremores, sede excessiva, redução de apetite e mudanças gerais de comportamento podem ser os sintomas a curto prazo. 

Mas, a longo prazo, a ingestão de uva pode causar outros males, como: anorexia, flacidez do abdome e problemas renais. Quando esses problemas se tornam graves saiba que a uva pode matar seu cachorro.

Ainda não há consenso sobre a substância da uva que causa tantos males. Muitos acreditam que a grande vilã da fruta é a micotoxina, que está presente na casca da fruta, mas essa ainda não é uma informação comprovada. Mas o importante mesmo é saber que a uva faz mal para cachorro.

Mas porque os cachorro gostam tanto de uva?

O que sabemos é que, independentemente da substância causadora, a uva não deve ser oferecida ao seu cão. 

Aliás, não importa o peso, a raça, a idade, o porte ou os hábitos de vida de seu animal, jamais ofereça a fruta e retire os cachos do alcance deles. Isso porque o gosto da uva geralmente é muito agradável ao paladar deles. Mas os males que elas causam não valem a pena o risco, combinado?

Nem em pouca quantidade posso dar uva para cachorro?

Infelizmente, não. Como não se sabe ao certo qual substância da fruta – ou qual parte dela – faz mal aos cachorros, o ideal é não arriscar e não oferecer a uva em nenhuma quantidade. 

E a uva passa posso dar para o meu cachorro?

A uva passa nada mais é do que a uva in natura após um processo de secagem ao sol, para que ela desidrate. Ou seja, ela perde água e, com isso, suas substâncias ficam potencializadas. Já percebeu né?!?! 

Dessa maneira, a uva passa age no organismo dos cães de forma ainda mais agressiva que a uva in natura, oferecendo os mesmos males, porém com maior risco de agravamento. Por esse motivo, ela também não deve ser oferecida e o ideal é que você não deixe fora do alcance do seu pet, já que esse é um alimento que os cachorros não podem comer. 

Mas em quanto tempo os sintomas podem aparecer? 

Assim como não há consenso sobre a quantidade de uva que faz mal aos cachorros, também não há um tempo determinado em relação ao surgimento dos sintomas. Afinal, além dessa incerteza sobre o que causa tantos malefícios, esse tempo também varia dependendo do grau de intoxicação, da gravidade dos sintomas e da quantidade que seu animal ingeriu. 

Geralmente, os primeiros sintomas podem surgir em até 6 horas após a ingestão da uva ou da uva passa pelo seu cachorro.

Mas vale lembrar que o acúmulo da substância no organismo pode se tornar um grande problema a longo prazo, ou seja, a uva para cachorro é também um problema mesmo que passe essas 6 horas de maior risco.

Você pode também gostar deste post: Alimento proibido? Descubra se seu cachorro pode comer tomate!

Mas, meu cão comeu uva ou uva passa. O que fazer?

O ideal é que, se você percebeu que seu animal ingeriu a uva fresca ou a uva passa, procure imediatamente o médico veterinário responsável por seu pet. Você não precisa esperar 6 horas, quanto mais rápido chegar melhor. 

Mesmo que você não tenha certeza da ingestão e esteja apenas suspeitando, é importante consultar o especialista. Ele irá indicar se é necessário, por exemplo, realizar uma lavagem intestinal ou até mesmo induzir o vômito em seu cão.

É importante que você não tente fazer nenhum desses procedimentos em casa ou sem recomendação médica, para não piorar o quadro de saúde dele, certo?

E você, sabia que não pode dar uva para cachorro, nem mesmo a uva passa? Apesar da uva estar entre as fruas que cachorro não pode comer, saiba que seu cão pode ingerir diversos outros alimentos, a saber: frutas, verduras e legumes, tanto em receitas quanto in natura.

UVA FAZ MAL PARA CACHORRO

Mas quais os alimentos que cachorro pode comer?

O Clube dos Bichos em parceria com a médica veterinária Lívia Dias elaborou um ebook com mais de 40 receitas caseiras de petiscos naturais para cães e gatos. Certamente várias delas irão fazer sucesso com seu pet! Você pode adquiri-lo clicando aqui. 

Curtiu esse conteúdo? A gente quer saber: tem algum outro alimento que você deseja entender se é permitido para a ingestão de seu animal? Conte aqui nos comentários que iremos te ajudar. Muito obrigado e até a próxima! 


guilherme rezende

Guilherme Rezende

Médico Veterinário formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Pós graduado em Clínica Cirúrgica de Pequenos Animais pela Universidade Castelo Branco (UCB).

Cofundador da Plataforma Clube dos Bichos.

fabiano carregaro

Fabiano Carregaro

Médico Veterinário graduado pela Universidade de Brasília (UnB).
Mestre em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Cofundador da Plataforma Clube dos Bichos.



Referências:

Waller, Stefanie & Cleff, Marlete & João, Cleff & Mello, João. Intoxicações em cães e gatos por alimentos humanos: o que não fornecer aos animais?. (2013).

Amália Turner Giannico, e outros. Alimentos tóxicos para cães e gatos. Colloquium Agrariae, v. 10, n.1, Jan-Jun. 2014.

Couto, H. P. e Corte Real, G. S. C. P.. Nutrição e Alimentação de Cães e Gatos. Aprenda Fácil Editora. 2019.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: