Fique conectado

Fases da Vida

Pode cortar a orelha e o rabo de cachorro filhote?

Publicado

em

Além de preocupações básicas com saúde, alimentação e bem-estar de nossos amigos caninos, a aparência dos bichinhos também faz parte da rotina dos tutores. Mas será que posso cortar orelha e rabo de cachorro filhote?

Você já percebeu que raças como boxer, pitbull ou doberman muitas vezes têm orelhas diferentes, bem alongadas? Ou que muitos cãezinhos, como poodles e pinscher, não possuem a cauda completa? Essas características decorrem de procedimentos cirúrgicos estéticos chamados conchectomia e caudectomia, respectivamente.

Ambos são bastante polêmicos e não são bem vistos dentro da comunidade que ama e respeita os animais. Hoje vamos te contar tudo sobre esses dois procedimentos e o porquê deles serem tão nocivos para os animais.

Conchectomia 

Esse é o nome técnico do procedimento que consiste no corte das orelhas dos nossos cães. Geralmente ela é feita quando eles ainda são filhotes apenas por estética. 

cortar-a-orelha-e-o-rabo-de-cachorro

Pense aí: algumas raças possuem orelhas bem alongadas e pontiagudas, enquanto em outras essa parte é redondinha e pequena. Muitas pessoas acreditam que as diferenças das orelhas nas raças de cachorro são naturais e genéticas, mas infelizmente isso não é uma verdade. Na realidade, esse é um padrão que nós humanos colocamos em raças como: 

  • Dog Alemão 
  • Boxer 
  • Doberman
  • Pitbull
  • American Bully
  • outras raças consideradas de caça

As raças de caça são historicamente mais afetadas pela prática pois antigamente se acreditava que os animais teriam a audição beneficiada pelo procedimento. Além disso, existia a crença que o corte da orelha diminuiria a probabilidade de problemas auditivos. 

Mas, como veremos a seguir, nada disso é verdade!!!

Caudectomia

Já a caudectomia consiste na intervenção na cauda dos cães também para “melhorar” a aparência deles, mas sempre levando em consideração os padrões que nós humanos temos. 

As raças mais submetidas ao corte da cauda são:

  • pinscher
  • poodle
  • cocker spaniel
  • pitbull
  • rottweiller 
  • doberman
corte de cauda cachorro

No início, esse procedimento foi implementado em cães de caça que viviam no campo, onde o acesso aos médicos veterinários era quase inexistente.

Os donos perceberam que em diversos conflitos havia feridas na cauda, e em um contexto de atenção à saúde precária, muitos cães morriam por conta dos ferimentos que sofriam no rabo.

Assim, os camponeses amputavam a cauda dos cachorros quando eles ainda eram filhotes, para evitar maiores problemas. 

Com o passar do tempo e o avanço da medicina, essa cirurgia passou a ter um objetivo puramente estético. Na visão humana, fica “estranho” um cão pequeno com uma cauda longa. E por isso, submetemos nossos animais a essas cirurgias que não tem nenhuma função além de “nos agradar”.

Proibição das práticas: enquadramento na Lei de Crimes Ambientais.

Para além de serem cirurgias desnecessárias e realizadas puramente com fins estéticos, hoje em dia cortar a orelha e o rabo do cachorro são práticas consideradas crimes.

Desde 2013 e 2008, respectivamente, os procedimentos se enquadram dentro do Artigo 39 da Lei de Crimes Ambientais por conta das resoluções nº1027/2013 e nº877/2008 publicados pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). 

Portanto, como está previsto em lei, o tutor que submete seus animais a essas práticas pode ser detido e ter prisão decretada, além de pagar multa.

Mas quais os riscos ao cortar a orelha e o rabo do cachorro filhote?

As cirurgias na cauda e na orelha não são proibidas apenas por terem motivação puramente estética. Elas podem sim trazer consequências muito nocivas para os animais. 

Em ambos os casos, elas podem causar infecções e até mesmo problemas emocionais e mentais para os animais. Essas cirurgias, quando levam à perda de sangue excessivo, expõem o animal a ter um risco de morte desnecessário.

Outro problema ocorre ao submeter animais novos à anestesia e à cirurgia, visto que muitos ainda estão frágeis para aguentar procedimentos desse porte.

De forma específica, pela cauda ser um dos pontos de equilíbrio para nossos animais, portanto o corte da cauda trazer problemas de equilíbrio e dificultar a convivência plena de nossos cães.

Além disso, também percebemos problemas de comunicação quando o animal não possui cauda. Afinal, através dela podemos entender mais do comportamento e dos sentimentos dos cachorros, como medo, alegria e submissão. 

Já no caso do corte da orelha, o canal auditivo fica mais exposto, portanto, mais suscetível à parasitas, a infecções, a insetos e a entrada de água, componentes indesejáveis nessa parte do organismo de nossos melhores amigos.

Mas existe algum benefício ao cortar a orelha e o rabo do cachorro?

Muitos tutores dizem que existem sim benefícios nessas práticas. Isso não é verdade. E vamos te mostrar o porquê. 

Um dos argumentos usados é que, no caso das orelhas, os animais terão menos problemas auditivos quando é feita a cirurgia. Isso é um mito.

Aliás, o que previne o surgimento dessas doenças é o cuidado adequado, como a limpeza das orelhas. O corte da orelha pode, ao contrário, ser a porta de entrada para bactérias e parasitas. 

Já no caso do corte da cauda, muitos acreditam que auxilia na higiene. Essa é uma outra crença errada, já que o rabo não é um local sujo, sobretudo quando os tutores realizam a higienização de forma correta. 

Por isso, nenhum argumento a favor das cirurgias estéticas é válido, sobretudo quando sabemos que elas causam tanta dor e sofrimento.

Mas o que acontece com os profissionais que realizam essas cirurgias?

Se os tutores têm punição prevista pelo CFMV, os médicos veterinários que realizam a prática também não passam impunes. 

Segundo a lei, os profissionais que realizam o procedimento certamente irão passar por processo ético-profissional administrativo e podem até mesmo perder o direito de exercer a profissão.

Mas ainda tem tutor que cortar a orelha e o rabo de cachorro filhote em casa?

Como é recomendado, muitos profissionais se recusam a realizar as duas práticas, sobretudo após a determinação do CFMV. 

Por isso e infelizmente, tivemos um aumento considerável dessa prática sendo realizadas em casa e por pessoas que não entendem da fisiologia dos animais e dos procedimentos corretos de assepsia. 

É preciso reafirmar: isso é altamente perigoso e, sobretudo, um crime. Ademais, as chances de problemas de saúde e até mesmo de morte em procedimentos realizados de forma caseira são ainda maiores.

Afinal, acreditamos que após essa explicação você não irá submeter seu animal à caudectomia ou a conchectomia. Certamente, mais que bonito, seu animal precisa estar satisfeito e saudável, do jeitinho dele! 

Aqui no Clube dos Bichos nós temos diversos conteúdos que podem te ajudar a mantê-lo exatamente dessa forma: feliz! Esperamos você no próximo conteúdo com ainda mais informações. Até lá!


guilherme rezende

Guilherme Rezende

Médico Veterinário formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Pós graduado em Clínica Cirúrgica de Pequenos Animais pela Universidade Castelo Branco (UCB).

Cofundador da Plataforma Clube dos Bichos.

fabiano carregaro

Fabiano Carregaro

Médico Veterinário graduado pela Universidade de Brasília (UnB).
Mestre em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Cofundador da Plataforma Clube dos Bichos.


Referências Bibliográficas:

Resolução nº 1027, de 10 de maio de 2013. Conselho Federal de Medicina Veterinária – CFMV.

Resolução nº 877, de 15 de fevereiro de 2008. Conselho Federal de Medicina Veterinária – CFMV.

Clique para comentar

Deixe uma resposta