Fique conectado

Alimentação

Como alimentar um gato recém-nascido com papinha?

Equipe Clube dos Bichos

Publicado

em

gato recém-nascido

Você acabou de encontrar um gatinho abandonado na rua? Sua gatinha acabou de parir lindos gatinhos e não está conseguindo cuidar de todos ou rejeitou alguns? É a primeira vez que vai cuidar de filhotes?

Então, muitos de nós já passamos por esse momento. Felizmente, excelentes histórias e aprendizados se repetem dia após dia.

Assim, neste post vamos falar um pouco sobre os desafios desse momento e como superar cada dificuldade alimentar com mais tranquilidade.

Portanto, se dedique a esse gatinho que está com você no dia de hoje, ele será eternamente grato!!!

Conforme discutido no post gato recém-nascido: como cuidar e alimentar? Ainda não viu….. clique aqui e saiba tudo sobre seu novo bichinho.

O filhote pode não se alimentar bem por diversos motivos, por exemplo: rejeição materna, má nutrição da gata, filhotes menores podem ser excluídos pelos irmãos mais forte, ausência da mãe, entre outros.

Seja qual for a causa, certamente as duas principais maneiras de alimentar o gato é o uso de formulações prontas específicas para animais ou a utilização de receita/papinha caseiras.

Receita de papinha caseira para alimentar gato recém-nascido.

Entre as principais receitas caseiras conhecidas, selecionamos a que, no nosso entendimento, possui melhores resultados.

Ademais, a receita escolhida foi desenvolvida por pesquisadores e publicada em veículo acadêmico em 2005 1. Ou seja, ela foi testada e validada para ser utilizada em casos em que os tutores não possuam acesso imediato às fórmulas prontas para os gatinhos recém-nascidos.

Portanto, apesar de reconhecermos que a papinha caseira é uma opção de alimentação que possui mais riscos para os animais, em alguns casos de urgência ela pode ser utilizada.

Papinha caseira para substituição de leite materno para gato recém-nascido:

Leite condensado90 ml
Iogurte integral120 ml
Gemas de ovos3 a 4 unidades
Água filtrada90 ml
Prats, 2005.

Modo de preparo:

Misture bem todos os ingredientes em uma vasilha. Contudo, antes de oferecer para os gatinhos, aqueça o preparo até que fique morno.

Para saber a temperatura correta, faça um teste nas costas da mão. Assim, caso esteja em temperatura agradável, coloque o preparo em uma seringa ou mamadeira e forneça aos filhotes de 2 em 2 horas.

O preparo pode ficar na geladeira por até 3 dias. Evite fazer grandes quantidades, pois podem ficar impróprias para o uso. Caso necessário, reduza pela metade a quantidade de ingredientes para que a formulação caseira fique o mínimo de tempo possível na geladeira.

Os animais deverão ingerir o preparo até a 6ª semana de vida, conforme indicado no post gato recém-nascido: como cuidar e alimentar?.

Qual o principal problema de oferecer receita caseira para os gatinhos?

Os animais apresentarem diarreia é o problema mais comum observados nos filhotes que são alimentados com receitas caseiras.

Contudo, uma estratégia a ser utilizada nesses casos pode ser a redução temporária da quantidade de leite (leite condensado) na formulação.

Para tanto, deve-se reduzir a quantidade de leite em 50%. Então, gradativamente se deve aumentar a quantidade de leite até que o cuidador consiga seguir a receita integralmente sem que cause nenhum desconforto aos animais.

gatinho papinha
Foto Original: Unsplash.

E aí, gostou do conteúdo? Tem alguma dúvida ou relato sobre a matéria? Deixe seus comentários aqui pra gente!

Além disso, aproveite para assistir também aos vídeos que publicamos lá no canal do YOUTUBE e as outras matérias do site! Abraços e até a próxima.


Referência Bibliográfica:

PRATS, A.; PRATS, A. O Exame clínico do paciente pediátrico. In: PRATS, A. Neonatologia e pediatria: canina e felina, Cap.3, p. 96-113, Interbook editora, São Caetano do Sul – SP, 2005.

LITTLE, S. E. O Gato: Medicina Interna. 1. ed. Rio de Janeiro: Roca. 2016, p. 1764-1773.

Domingos, T.C.S.; Rocha, A. A.; Cunha, I. C. N; Cuidados básicos com a gestante e o neonato canino e felino: revisão de literatura. JBCA – Jornal Brasileiro de Ciência Animal 2008 v.1, n.2 , p. 94-120

Clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: