Fique conectado

Saúde

Yin e Yang: Teoria da Medicina Veterinária Tradicional Chinesa.

Catiane Lopes

Publicado

em

medicina-veterinaria-tradicional-chinesa

O Yin e Yang, juntamente com a teoria dos Cinco Elementos, são visões filosóficas originárias da China. Inicialmente, foram aplicadas para a compreensão e interpretação dos fenômenos naturais.

Ambas promoveram o desenvolvimento de dois sistemas teóricos: Medicina Tradicional Chinesa (MTC) e Medicina Veterinária Tradicional Chinesa (MVTC). E até hoje, representam as fundações conceituais de cada sistema e guiam exames clínicos em nosso trabalho diário com os animais.

O que é o yin e yang?

Yin-Yang são essencialmente compostos de dois aspectos opostos, porém complementares. Segundo a filosofia, o yin-yang é o princípio da dualidade no qual o polo positivo não vive sem o negativo e vice e versa.

Na natureza nada escapa desta oposição, isto porque, trata-se de uma contradição interna que constitui a força motriz de toda modificação, desenvolvimento e deterioração das coisas.

Contudo, cada fenômeno no universo se alterna por meio de um movimento cíclico de altos e baixos e a alternância do yin e yang é a força promotora da mudança e do desenvolvimento.

Cada fenômeno pode pertencer ao yin e yang, mas sempre conterá a semente do estágio oposto em si mesmo, porque yin contém a semente do yang e vice-versa.

Assim, o desenvolvimento de todos os fenômenos no universo é resultado de uma interação de dois estágios que se opõem, mas que se agregam, simbolizados pelo yin e yang, e cada um contém em si mesmo, ambos os aspectos, porém, em diferentes graus de manifestação.

Yin e yang não são estáticos, constantemente se transformam um no outro. Por exemplo: felicidade se transforma em tristeza, verão em inverno, dia em noite, calor em frio.

E a partir dessa visão, Yin-Yang são dois estágios de um movimento cíclico, sendo que um interfere constantemente no outro, um corresponde a luz, o sol, a luminosidade e a atividade (yang) e o outro a escuridão, a lua, a sombra e o descanso (yin).

O relacionamento e a interdependência do yin-yang podem ser representados pelo famoso símbolo chamado “máximo supremo”.

Qual a importância do Yin e Yang na teoria da MTC?

O conceito de yin-yang é provavelmente o mais importante e distinto da teoria da MTC, pois toda a fisiologia médica chinesa, patologias (doenças) e tratamentos, podem, eventualmente, ser entendidos por meio desta teoria.

Embora seja um conceito extremamente simples, trata-se ao mesmo tempo, de uma visão muito profunda.

A teoria do Yin-Yang usada é utilizada para explicar fisiologia e patologia animal e, também, para guiar o diagnóstico clínico e tratamento. Além disso, pode-se estender à fisiologia, patologia, farmacologia, diagnóstico e tratamento da MVTC com acupuntura e ervas.

Aplicação do yin-yang na medicina.

Yin e yang são tanto estágios opostos de um mesmo ciclo, são interdependentes, nada é totalmente yin ou yang, um não existe sem o outro, são como estados de agregação. Yang é considerado totalmente imaterial e corresponde a energia pura, ao passo que yin é totalmente material e corresponde à substância, matéria.  Exemplo:  yang é imaterial, produz energia, expansão, fogo, ao passo que, yin é material, produz forma, contração, água .

As substâncias nutricionais do corpo do animal correspondem a yin, ao passo que as atividades funcionais correspondem a yang, ou seja, a produção de yin precisa de atividades de yang e vice-versa.

O importante equilíbrio dos dois fatores.

Yin e yang estão num estado constante de equilíbrio dinâmico, e isto só é possível se forem mantidos os ajustes contínuos dos níveis relativos de um e outro.

No momento em que há desequilíbrio tanto de yin quanto de yang, ocorre um desequilíbrio mútuo que promove uma modificação entre as proporções dos compostos.

Quando yin estiver sobressaindo, provocará uma redução do yang, isto é, o excesso de yin consome o yang. Ao se sobressair o yang, haverá uma diminuição também do yin, isto é, o yang em excesso consome o yin.

Ou seja, quando o yin estiver debilitado, o yang aparentará preponderante, e quando o yang estiver debilitado, o yin aparentará excessivo. O equilíbrio é alcançado com a dinâmica do yin e yang em diferentes proporções.

A observação desse equilíbrio na prática da medicina veterinária.

Na prática da medicina veterinária tradicional chinesa podemos observar, diariamente, a influência dos dois fatores em nossos atendimentos clínicos.

Por exemplo, os animais mais agitados, menos tímidos e novos são considerados yang, em sua maioria, e tendem a desenvolver doenças yang, incluindo excesso de calor (yang em excesso) ou falso calor (yin deficiente).

Para manter o equilíbrio, nesses animais classificados como yang, devemos promover um ambiente fresco durante o clima yang (verão) e oferecer comidas que sejam de natureza fresca.

Já os animais mais quietos, tímidos e mais velhos são chamados de yin, e dessa forma, tendem a manifestar doenças yin. Portanto, promover um ambiente mais quente em períodos de clima yin (inverno) e alimentos de natureza quente é o mais indicado, na maioria dos casos.

Pode-se dizer que a medicina chinesa como um todo, sua fisiologia, patologia, diagnóstico e tratamento, podem ser resumidos à teoria básica e fundamental do yin e yang.

Portanto, na prática é de suma importância a compreensão da aplicação da teoria do yin-yang à medicina, podendo até mesmo se dizer que não há medicina chinesa sem essa teoria.

O melhor cuidado médico veterinário para os animais é trabalhar a prevenção da doença. Sendo assim, a prevenção na visão da Medicina Veterinária Tradicional Chinesa se dá pela manutenção do equilíbrio yin-yang ou por meio de ajustes ao organismo com base na constituição do animal.


LEIA TAMBÉM:


ACUPUNTURA: O que é? Para que serve?

Medicina Tradicional Chinesa Veterinária – O que é?

Além disso, aproveite para assistir também aos vídeos que publicamos lá no canal do YOUTUBE e as outras matérias do site! Abraços e até a próxima.



Referências Bibliográficas:

XIE, H; PREAST, V. Medicina Veterinária Tradicional Chinesa: princípios fundamentais. São Paulo: MedVet, 2012.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: