Fique conectado

Alimentação

Cachorro gordo: quais os riscos e como resolver o problema da obesidade canina.

Fernando Schimidt

Publicado

em

cachorro-gordo-obesidade-canina

Cachorro gordo e gatos gordinhos podem ser considerados lindos e fofos por diversos tutores. Por isso, muitas imagens e memes correm a internet trazendo um ar de leveza e diversão para esse tema.

Entretanto, essa condição pode ser muito prejudicial trazendo diversos problemas para a saúde e podendo causar estado de dor e sofrimento para eles.

Isso porque a obesidade é uma doença que atinge pessoas e animais do mundo inteiro e a canina é uma doença crônica grave que causa diversas alterações no organismo.

Os pets, com a maior aproximação com os seus tutores e, certamente, repetição de muitos de seus hábitos alimentares, têm, frequentemente, ganhado peso em excesso, tornando-se cachorros gordinhos.

Aliás, os dados estatísticos são alarmantes: em 2018, a Associação de Prevenção da Obesidade em Cães (Association for Pet Obesity Prevention) estimou que 55,80% dos cães norte-americanos estavam acima do peso.

Então, quando considerar um cachorro gordo?

Em suma, identificamos como cães obesos todos os que ultrapassam 20 % do seu peso ideal.

A obesidade canina é uma doença crônica que resulta do acúmulo de gordura no tecido adiposo dos nossos peludos.  Este acúmulo causa vários danos ao organismo dos animais.

Por isso, devemos sempre nos preocupar quando nossos cachorros gordinhos estão acima do peso.

alimento-obesidade

Mas como meu cachorro ficou gordo?

Basicamente, engordar cachorro é fácil, basta fazer com que o ganho energético seja maior do que a perda energética.

Ou seja, o cachorro gordinho provavelmente come mais alimento do que o necessário e gasta pouca energia, o que provoca um ganho calórico diário que resulta em acúmulo de gordura no tecido adiposo e ganho de peso em nossos cães.

Muitos tutores acreditam que cachorro não engorda e se espantam quando identificamos essa situação. Portanto, normalmente o que ocorre é muito similar ao sobrepeso em humanos e devemos sempre direcionar o animal para voltar ao seu peso ideal para que seja mantida a sua saúde.

Contudo, há alguns fatores que favorecem o ganho de peso em cães:

a. Raças e genética:

Algumas raças como o Basset Hound, Cocker Spaniel, Beagle, Golden, Pug, Dachshund e Labrador têm facilidade em ganhar peso.

pinscher-obeso-dachshund

O Labrador, por exemplo, é uma raça com grande propensão a ser um cão gordo, já que possui uma alteração genética relacionada com o aumento do apetite e maior ganho de peso corpóreo. Assim, é comum os animais dessas raças terem que comer ração para cão obeso (ração light para cães).

Por outro lado, outras raças são mais resistentes ao desenvolvimento da obesidade em cachorro, como os Galgos, por exemplo. Nessas raças a preocupação muda de foco, já que o problema desses cães é estarem abaixo do peso ideal, mas isso é assunto para outro post!!!

b. Idade:

Certamente, a idade impacta diretamente na capacidade, tempo e intensidade dos animais em manterem atividade física.

Primeiramente, os cães jovens tendem a ser mais ativos e apresentar um grande gasto de energia, o que dificulta o cachorro engordar.

Já os cães idosos normalmente reduzem a atividade física, além de terem as taxas metabólicas alteradas, o que favorece a obesidade em cachorro.

racao-para-caes-gordos

c. Sexo:

Na média, as cadelas possuem a taxa metabólica menor do que a dos cachorros, o que ajuda as fêmeas a terem maior tendência ao ganho de peso.

d. Alimentos hipercalóricos:

Alguns tutores possuem o hábito de fornecer para os seus cãezinhos, de forma desregulada, alimentos com alto valor energético. Assim, esse é a porta para engordar o cachorro bem rápido.

Por exemplo, os alimentos hipercalóricos mais comuns que observamos em nossos atendimentos clínicos são: petiscos industrializados, bifinhos em excesso, pães, biscoitos, pizza, mortadela, dentre outros.

cao-salsicha-gordo

Para aumentar o afago e agrado ao seu melhor amigo peludo, faça os Petiscos Saudáveis indicados nas receitas do e-book do Clube dos Bichos.

e. Castração:

A castração traz vários benefícios aos nossos amigos peludos, por isso somos a favor da castração, porém devemos saber que o procedimento, logicamente, altera a regulação dos hormônios dos animais e facilitam o cachorro ficar gordinho.

Nas cadelas, a falta de produção do estrógeno, pós castração, promove um aumento no apetite, portanto elas acabam por comer mais e, consequentemente, tendem a ficar com sobrepeso, ou seja, acima do peso ideal.

Já os machos, pela ausência de testosterona, reduzem a sua taxa metabólica. Isso afeta diretamente a “produção” de massa magra (músculos), a taxa metabólica e a manutenção da atividade física.

Com isso, o cachorro engorda, já que seu novo arranjo corporal favorece a formação e deposição de gordura corporal.

f. Doenças hormonais:

Algumas doenças hormonais, como por exemplo o hiperadrenocorticismo e o hipotireoidismo, também são responsáveis pelo aumento de casos de cachorros obesos.

No caso do hiperadrenocorticismo, há uma produção excessiva de glicocorticóides e este hormônio aumenta muito a fome dos nossos pets. Assim, o cachorro acaba comendo mais que o necessário para a manutenção de sua saúde e se torna um cão gordo.

Já no hipotireoidismo, o animal ganha peso pois o seu metabolismo diminui. Dessa forma, o cãozinho fica mais lento e gasta menos energia, o que favorece o aparecimento da obesidade em cães.

obesidade-cao

Mas o meu cão estar gordo faz muito mal para ele?

Acima de tudo, a obesidade é um fator de risco para surgimento e agravamento de outras doenças, causando uma redução importante na qualidade de vida dos pets e das pessoas obesas também.

Saiba que não é só o cachorro muito gordo que tem problemas de saúde. Todos os animais, quando passam dos 20% do peso ideal, já entram em um grupo de risco que nós, veterinários, observamos com mais cuidados. Da mesma forma, para o tutor não deveria ser diferente.

Cães gordos podem desenvolver doenças ou até mesmo terem complicações em doenças já existentes antes mesmo da obesidade canina instalada.

cachorro-gordo-meu-cao-nao-engorda

Então, quais as doenças mais comuns que ocorrem por causa da obesidade em cães:

a. Diabetes Mellitus:

Essa doença se caracteriza pelo aumento da liberação de substâncias que diminuem a ação da insulina nas células. Quando o cãozinho está acima do peso, esse excesso de gordura potencializa o problema.

Por isso, o cãozinho que já é pré-disposto a se tornar diabético pode acabar desenvolvendo a doença de forma definitiva e mais grave.

b. Aumento de Inflamações e Cálculos (pedra na vesícula):

O excesso de gordura no sangue favorece o surgimento de cálculos vesicais (pedra na vesícula) e também resulta em maior possibilidade de inflamação no pâncreas do seu cão gordo.

c. Problemas respiratórios:

Caso o aumento de peso nos cães faça com que a gordura se acumule na região do pescoço, há uma maior dificuldade na respiração do seu pet. Com isso, seu cão obeso fica ofegante, o que favorece o surgimento de Hipertensão (pressão alta) e outros problemas do coração.

d. Outros problemas frequentes em cachorro gordo:

A obesidade canina também eleva o risco de surgimento de alguns tipos de câncer, principalmente em fêmeas, a saber:  câncer de mama e câncer de útero.

O excesso de peso sobrecarrega as articulações e favorece o surgimento ou o agravamento de doenças articulares como artrite e artrose, além de dificultar o processo de recuperação ortopédica destes pacientes, o que sempre causa dor intensa.

Por fim, os cachorros gordinhos podem desenvolver vários outros problemas, como por exemplo: infecções urinárias, problemas de pele, além de aumentar muito o risco de complicações anestésicas.

Como saber se meu pet está gordo?

cao-gordo-obesidade-canina

Existem alguns métodos que podemos utilizar para isso. Entretanto, o mais simples e rápido que pode ser feito inclusive por você em sua casa é o método do Escore de Condição Corporal (ECC).

Faça a visualização e palpação do seu cachorrinho e atribua um valor entre 1 a 5 conforme indicação das fotos abaixo. Como resultado, o ideal é que o animal esteja com o ECC 3.

ECC-caes
Fonte: De Marco & Ruiz, 2018.

Cães obesos – tratamento e prevenção:

Como evito que meu cão engorde?

Acima de tudo, saiba que não é muito difícil evitar a situação de seu cachorro engordar. Basta adequar a quantidade correta de ração ou alimentação natural, se for o caso, e evitar fornecer outros alimentos como pães, biscoito, bifinhos, macarrão etc.

Da mesma forma, devem ser realizados exercícios físicos com seu cachorro regularmente, pois uma caminhada ou uma leve corrida diária fará muito bem tanto para você quanto para seu pet.

Meu cachorro está gordo, o que eu faço?

Se seu cãozinho está obeso, primeiramente você deve levá-lo ao médico veterinário para que ele possa verificar como está a saúde de seu melhor amigo.

Uma vez que o profissional tenha examinado, ele poderá traçar um programa nutricional com ração para cão obeso ou com alimentação natural e, se for o caso, tratar em conjunto os problemas de saúde associados ao excesso de peso.

Lembramos que perder peso é muito difícil e lento também para o seu cãozinho, por isso devemos ter paciência e respeitar com rigidez a dieta prescrita.

Para ter êxito na perda de peso do seu pet, devemos combinar exercícios físicos com hábitos alimentares saudáveis. Por isso, “agrados” que não estejam no programa dietético do seu cão devem ser excluídos, mesmo que seja por um período curto.

A obesidade em cães é uma doença crônica. O excesso de peso pode trazer muitos danos e dor ao seu pet.

cao-obeso

VEJA TAMBÉM:


GATO GORDO pode comer frutas?

GATO OBESO pode comer legumes como petiscos saudáveis?


fernando

Médico Veterinário graduado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 2014.
Especialização em endocrinologia veterinária pela Faculdade Unyleya, em 2019, e pelo Instituto Qualittas, em 2020.
Atua como medico veterinário na área de endocrinologia veterinária e clinica médica geral de cães e gatos.

Instagram: @viaendocrina
E-mail: viaendocrinavet@hotmail.com


Referência Bibliográfica:

Weight Management Guidelines Task Force. Brooks D. Et al. AAHA 2014.

Obesidade Canina e Felina. Jericó M.M.; Lorenzini F.; Kanayama,K.K; Cavalcante, C.Z.; Furtado, P.V; ABEV. 2018.

Obesidade Animal: Tratamento e benefícios da nutrição adequada.

De Marco, V.; Ruiz, E.G.N. Avaliação da frequência de síndrome metabólica em cães obesos e tratamento da obesidade canina com o uso da ração Equilíbrio Veterinary O&D da Total Alimentos. UNISA. 2012.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: