Fique conectado

Saúde

Gato espirrando muito: a bordetelose pode ser uma das causas.

Equipe Clube dos Bichos

Publicado

em

gato-espirrando-muito

Gato espirrando muito é uma das principais causas que levam esses animais ao veterinário. Nos dias de hoje as infecções respiratórias, conhecidas tecnicamente como complexo respiratório felino, são os principais problemas para o seu gato ficar espirrando muito, as vezes o gato fica até rouco.

Então, para evitar o problema do seu gato ficar espirrando, vamos conhecer um pouco mais sobre uma das causas do Complexo Respiratório Felino: a bordetelose, provocada pela bactéria Bordetella bronchiseptica.

O que é a Bordetella bronchiseptica?

É uma micróbio comum a várias espécies de animais além dos gatos. Por exemplo, os cachorros, os porcos e os animais de laboratório também podem apresentar espirros e outros sintomas causados pela bordetela.

De fato, essa bactéria faz parte da microbiota respiratória dos gatos, podendo causar problemas respiratórios no seu gato, principalmente em locais com grande quantidade de animais, como abrigos e gatis.

Você pode também gostar deste post: Gato recém-nascido: Como cuidar e alimentar? Posso dar leite ou papinha?

Então, como ocorre o contágio pela “Bordetela” em gatos?

A transmissão da bactéria acontece pelo contato direto ou mesmo indireto com as secreções eliminadas pelos gatos doentes. Assim, é importante ficarmos atentos ao gato espirrando ou mesmo quando ainda está só parecendo um gato rouco. Para quem tem dois ou mais animais vivendo na mesma casa, um gato rouco ou que espirra será fonte de infecção para os outros que estão sadios.

Não existe um conhecimento exato sobre o tempo de sobrevivência da B. bronchiseptica, mas alguns estudos indicam que ela pode se manter ativa por até dez dias no ambiente. Entretanto, essa bactéria é sensível a desinfetantes, morrendo em contato com eles.

gato-espirrando-sangue

Estudos mostram que a bactéria geralmente vem junto com outras infecções, causadas pelo Herpesvírus Felino (FeHV-1) e Calicivírus. Esse é um fator complicador, pois todos os micróbios que causam o complexo respiratório felino originam sintomas semelhantes, o que dificulta o diagnóstico. 

Alguns fatores aumentam o risco de ocorrência da doença, como estresse, grande quantidade de animais no mesmo local e infecções pré-existentes. Além disso, cães com doenças respiratórias também são fatores de risco para gatos.

Aliás, além do gato espirrando muito, quais são os outros sintomas da doença?

O gato contaminado fica espirrando muito, com tosse, febre e também os olhos lacrimejando. Em casos mais graves da doença pode acontecer de vermos o gato espirrando sangue.

Não sabemos também até que ponto a bactéria pode estar presente no organismo do animal sem afetá-lo, pois a Bordetella bronchiseptica já foi encontrada no corpo de muitos gatos saudáveis.

Ainda desconhecemos algumas informações importantes sobre a bactéria, como por exemplo, seu potencial de causar a doença em animais com níveis de suscetibilidade diferentes.

Você pode também gostar deste post: Como cuidar de gato: alimentação, higiene e ambiente.

Mas é necessário se preocupar com o gato espirrando?

Apesar da falta de conhecimento científico mais profundo sobre a doença, certamente devemos ter cuidados semelhantes aos que tomaríamos para evitar qualquer outra infecção respiratória em felinos. 

Devemos evitar o contato com animais desconhecidos e, certamente, evitar o risco de qualquer outra doença para reduzir os problemas com a infecção. 

Um fato que não pode ser esquecido para as doenças respiratórias é a necessidade de manter o ambiente bem ventilado para que ocorra a troca de ar, principalmente em locais com muitos gatos.

Dessa forma, você pode prevenir o contágio da doença e zelar pelo bem estar de seu animalzinho.

Então, qual o remédio posso dar para o meu gato gripado?

Quando os gatos apresentam os sinais de doenças respiratórias, o médico veterinário prescreve antibióticos para evitar que a doença fique mais grave. Ademais, é importante o uso de anti-inflamatórios para ajudar no alívio dos sintomas.

remedio-para-felino-espirrando-rouco

Em casos graves, o médico veterinário poderá, até mesmo indicar, o uso de nebulização. Portanto, é muito importante que o gato seja levado ao veterinário para que ele decida o melhor tratamento. Evite fórmulas caseiras, porque os gatos são muito sensíveis as intoxicações medicamentosas!

Aliás, como prevenir o sintoma do gato espirrando muito?

Certamente, a prevenção para os casos de complexo respiratório felino é sempre a vacinação. Assim, os tutores devem acompanhar o calendário de vacinas definido pelo médico veterinário para todos os seus gatinhos.

Por fim, é importante também mantermos nossas casas sempre limpas e bem arejadas. Atenção para os tutores que desejam adotar novos animais, pois eles serão um risco para a introdução dessas doenças, caso não seja feito um planejamento adequado para a adoção.

Siga o CLUBE DOS BICHOS no Instagram, Facebook e YouTube.



VEJA TAMBÉM:


Gato espirrando, o que pode ser?

Gengivite em Gato: causas, tratamento e prevenção.

Escova de dente para gatos. E gato escova dente?


Valéria Lara Carregaro

Designation

Médica Veterinária graduada pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), em 1994. Com aprimoramento na área de Doenças Infecciosas dos Animais Domésticos (1994-1996) pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, da UNESP, Botucatu, São Paulo. Mestre na área de Vigilância Sanitária (1999) e Doutora na área de Clínica Veterinária (2004) pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, da UNESP, Botucatu, São Paulo. Atualmente é professora contratada da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA), da USP, Pirassununga, São Paulo.

E-mail: vallaracarregaro@gmail.com


Referências:

BANNASCH, M. J.; FOLEY, J. E. Epidemiologic evaluation of multiple respiratory pathogens in cats in animal shelters. Journal of Feline Medicine and Surgery, v.7, p.109-119, 2005.

BEMIS, D. A.; GREISEN, H. A.; APPEL, M. J. Pathogenesis of canine bordetelose. Journal of Infectious Diseases, v.135, p.753-762, 1977.

EGBERINK, H.; e colaboradores. Bordetella Bronchiseptica infection in cats: ABCD guidelines on prevention and management. Journal of Feline Medicine and Surgery, v.11, p.610-614, 2009.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: